Friday, December 18, 2015

Lanches musicais e ministeriais

Reza a história que quando eu tinha aí uns 8 aninhos estava um dia a ver uma novela com a minha irmã quando as senhoras da TV qu estavam a lanchar se levantam e vão embora. A minha irmã diz, elas foram embora e não fecharam a porta! Eu digo, elas foram embora e não comeram nada!!

Serve isto de cenário para ontem:

Ontem tínhamos uma consulta no hospital. Ontem ele tinha também um evento escolar: a sala dele ia cantar ao conselho de ministros. E por isso começou a insistir: "eu tenho que ir, amã! Temos de chegar a horas! Eu quero mesmo ir! Tenho que ir!!!" E eu, orgulhosa de ter um filho que se preocupa com a música, digo, "está bem, vamos tentar." E ele qualifica, "tenho que ir amã! Vai haver ganda lanche! Eu quero ir lanchar!!"  

Gosto de quem tem presente as suas prioridades!

P.S- foi e foi giro. Veio com mais um kit de magia (o 4o!)

Crescer no Séc. XXI

Ele - (sentamo-nos no carro e ele anuncia muito sério). Já sei o que é que quero para o Natal
Eu - ah, sim?
Ele - Sim, e pode ficar como prenda de anos também 
Eu - okay, e o que é?
Ele - um canal de YouTube 
Eu - ??!!???!!? Nem pensar!
Ele - és má!! 

Sunday, December 13, 2015

Doenças

Eu doente. Ele não. Está tudo dito. 

Passámos o fim de semana em casa. E ele hoje passou o dia inteiro sempre atrás de mim. Depois de almoço decidi vir para o quarto dormir um pouco. Passados uns minutos ele começou a gritar por mim lá dentro. Queria não sei o quuê do Charlie Brown. Passados mais uns minutos veio ter comigo. Queria vir para ao pé de mim. Fazer-me companhia, disse ele. Passado mais um pouco queri saber ae podia usar os meus headphones. Um pouco depois queria saber se, EU O ESTAVA A OUVIR?? A resposta era sim. Depois decidiu ir ver dos vizinhos. Foi a casa de um. Voltou. Abri-lhe a porta. Foi a casa do outro. Voltou. Abri-lhe a porta. E depois? Bom, depois eu desisti. Há que saber quando eles são mais fortes que nós. 

Mas não posso deixar de dizer também que no Sábado fui eu que fui atrás dele para a sala. E que adormeci enquanto ele falava no skype com não-sei-quantos dos seus amigos. Quando acordei ele tinha ido para o meu quarto para não me acordar. E disse que tinha ido lá ver-me para ver se estava tudo bem e que me ia dar um beijo mas não me quis acordar. 

É um querido eate meu filhote e anda numa fase maravilhosa. Aliás vale a pena dizer umas palavras sobre isto porque uma das coisas que ele agora faz com muita piada é tratar comigo como se fôssemos os dois adultos. E par encarnar melhor a personagem usa S minhas próprias expressões. Ando sempre a rir-me com ele. 

Saturday, December 12, 2015

Chamadas anónimas e o espectro da prisão

Pois é, ninguém chega a adulto sem fazer algumas chamadas anónimas. Ontem foi a vez dele. Esteve em casa dos vizinhos e voltou para casa dizendo, "eles disseram para não te dizer nada mas tu não dizes a ninguém está bem?"  Passo contínuo explicou-me que tinham estado a fazer chamadas anónimas. De que tipo, das divertidas? pergunto eu. Mas não me parece. Aparentemente escolhem pessoas no custo justo e depois telefonam a dizer parvoíces sobre os negócios. Aparentemente também dizem palavrões. Ele também fez uma chamada e disse uma asneira. Qual? Merda. Okay. 

Hoje acorda nervoso, diz que não quer ir para a prisão. O que é que acontece se eu for para a prisão? pergunta. Eu vou-te visitar, respondo eu. Depois temos uma conversa sobre não fazer coisas que nos deixam desconfortáveis e sobre como resistir à pressão de amigos. 

E o resto da manhã foi passado comigo a gozar com ele e a possibilidade de ir parar à prisão. Daqui a uns anos vai ter muito que contar ao terapeuta.

T-shirt no inverno

É Sábado e está sol. Vou passear no bairro mas ele não quer vir. Mais tarde ligo-lhe a insistir, e explico que vamos ao café. Ele diz que sim. Mando-o vestir. Passados 2 minutos telefona-me a dizer que não tem cuecas. Passados mais 2 minutos teledona-me a perguntar onde estou. Mando-o vir ter comigo ao café. Sento-me à espera dele. E quando ele aparece vem de... t-shirt !!!!! Esqueceu-se que é inverno e que precisa de manga comprida e casaco. No comments.

Sunday, December 6, 2015

Rir

Diz o M que os amigos dele dizem que eu me estou sempre a rir. É bom.

Pedófila

Estamos no carro e, já nem me lembro porquê, falámos mais uma vez sobre pedófilia. Horas mais tarde estamos em casa, eu levanto-lhe o pijama e dou-lhe beijinhos nas costas e ele diz-me, "deixa-me sua pedófila!" Adoro o sentido de humor do meu filho. 

As relações heterossexuais

De pequenino se torce o pepino e é de pequenino que se aprende o que é estar numa relação heterossexual. Algumas das histórias que me conta o M: no outro dia a S disse ao J que ou ele não de mexia enquanto ela ia buscar qualquer coisa ou ela acabava com ele. E ele não se mexeu. Esta semana o Z chorou porque a V, de quem ele gosta, disse ue ele parvo. Para remediar isto o Z decidiu que ia ser menos parvo, levando assim alguns dos amigos rapazes  a questionarem-se porquê, se o Z é tão fixe como é.

Mais quando souber mais. 

Saturday, December 5, 2015

25 de Abril

Ele faz-me 1001 perguntas, eu rio-me e digo-lhe, "olha, e tu onde é que estavas no 25 de Abril?" Ao que ele responde simplesmente, "contigo numa manifestação". É a falta de referências culturais! 

Tuesday, November 17, 2015

Tosse

E começa a saga do inverno. Uns dias de frio e o crio farta-se de tossir. O meu medo são as pneumonias que por vezes vêm depois da tosse. Mas vamos ver se evitamos este desfecho. Apesar da tosse M dormiu bem e apenas começou  a tossir quando acordou. Perguntei-lhe se ele tinha que estar sempre a engolir (para tentar perceber se ele tem muita expectoração) ao que ele respondeu, "siiiim, porque quando eu tósso tenho muito ranho". 

Sunday, November 15, 2015

Incredulidade

Adoro a voz incrédula com que ele à noite pergunta, tu não queres vir ler comigo??!!?? E eu vou. 

São tão giros os miúdos!

Estou na casa de banho. Sentada na sanita. Ouço-o a chamar-me e não respondo. Ele precisa sempre de qualquer coisa nestas alturas. Ele encontra-me. Abre a porta. Vejo que não vem sozinho. Traz um amigo no skype. (!!!??!!!) São tão giros os miúdos!

Tuesday, November 10, 2015

O problema das calças

Hoje vou com ele ao Egas e por isso - e pelo facto de os calções da farda estarem a ser arranjados - mandei-o de calças para a escola. Ele ficou chateado é fartou-se de resmungar. O problema dele não é ir sem farda, o problema é, e paso a citar, que "de calças não pode brincar porque as calças fazem-no cair." Se nunca tinham ouvido falar deste problema falem com ele que ele explica.

Bull(ying)

Fui buscá-lo à escola e expliquei-lhe que precisava de trocar de calções. Ele foi à casa de banho e voltou na mesma. Eu abri a porta de uma sala e disse-lhe para se despir. Ele não queria. Eu insisti. Ele olhava em volta. Eu insistia que não havia ninguém. E dei a ordem, "despe-te depressa e troca de roupa!". E ele responde, "isso é bullying!! Tu és um bull!". Estive 15m a rir. (E ele trocou de roupa). 

I believe I can fly!!!

Vamos no carro. Ele no banco de trás joga às lutas com os bonecos de Lego. E depois levanta um dos bonecos até ao tejadilho e canta, "I believe I can fly!! I believe I can touch the sky!!!"

All is good

Cordel

Sábado de manhã. Dia lindo depois de uma semana chuvosa. Eu tento convencê-lo a sairmos de casa. E ele diz-me, "amã tu podes ir sozinha, tu sabes que nós não estamos unidos por um cordel umbilical!"  

(Vira-se o feitiço contra mim dado que a frase, com cordão, é minha). 

Saturday, November 7, 2015

Domesticidade

Sabemos que temos de dar uma reviravolta à nossa vida quando nos dizem que vai estar sol no fim de semana e a primeira coisa em que pensamos é vamos poder lavar roupa

Tuesday, October 6, 2015

O M e a M

Quando o fui buscar à escola ele veio a correr e a sorrir. Atrás dele veio a M a chorar porque já tinha pedido ao M muitas vezes para lhe dar um abraço mas ele não dá. A versão dele era diferente e envolvia a M a bater noutro miúdo mas a parte do abraço coincidia. Acabámos os três a dar um abraço. É giro porque apesar do desastre que foi a minha relação com o pai dela continuo a adorar esta miúda. 

Calvin and Hobbes

O M anda numa fase Calvin and Hobbes. É terrível porque passa o tempo todo a chamar-me para me ler. Hoje quando lhe fui dar um beijo de boa noite ele reflectiu, "o Calvin não tem amigos só o Hobbes. Isso não é bom para ele pois não??"

A sério está mesmo crescido o miúdo 

Trigémeas

Depois de ele me ter perguntado pela enésima vez se podia comer palmiers eu disse-lhe que esperava que as trigémeas dele também lhe fizessem muitas perguntas.  Passado um bocado ele disse-me que espertava não ter trigêmeas. 
- porquê?!?!
- porque nascem muitas vezes com deficiências e depois iam ter uma vida difícil. 
- ah, isso é verdade
- e depois iam dar muito trabalho e custar muito dinheiro 
- certo. Mas podes ter uma, duas, três
- sim, é isso que eu quero. Mas acho que prefiro um rapaz e uma rapariga.

Está tão crescido o meu pequenino!!!

Monday, September 7, 2015

Carta aos peluches

O M tomou o gosto pela escrita (de cartas) e antes de irmos para o Algarve teve o cuidado de escrever uma a todos os seus peluches que ficaram por ca' deitadinhos na cama dele. A carta diz o seguinte:

Bom dia fui para o Algarve, volto daqui a 15 dias, vou-me divertir imenso se quiserem fazer alguma coisa porque estão aborrecidos façamEu conto-vos o que aconteceu no algarve!!!

Beijinhos!!!!!!!!!!!



Tirando a falta de pontuação parece-me uma carta excelente. E constato com alegria que o meu filho continua a ser um fã do ponto de exclamação!!!!!!!!!!!!

Carta SOS campo de ferias

A primeira carta que recebi do meu filho dizia o seguinte:

Olá, Amã!!!

Como estás? Estou a ganhar a aposta não estou a gostar, onde puseste as cartas?

S.O.S
S.O.S

Vem me buscar qualquer dia destes!
É uma chatice, passas fome, dormes mal, os da minha tenda são chatos.

Diz-me o endereço da tia G se não tiveres postos as cartas na mala!!!

Beijinhos!!!

M


Nao sei se por ser ma mae ou se por conhecer muuuuito bem a minha crianca nao fiquei preocupada (o facto de ter recebido a carta a dois dias do campo acabar tambem ajudou). Achei simplesmente que e' ele por uma linha e adorei tudo: desde os SOS, aos pontos de exclamacao, passando pela descricao do campo na segunda pessoa implicando-me assim directamente a mim. E quando o fui buscar, dois depois, ele disse-me que tinha gostado imenso e que para o ano queria voltar. E eu disse-lhe que adorei a carta e que estou muito orgulhosa dele.

Thursday, August 6, 2015

Campo de férias

O M foi hoje para o campo de férias. Fui deixá-lo a Sta. Apolónia de manhã. E ele ia tão triste e tão nervoso que eu fiquei (e permaneço) de coração pequenino e de lágrima no canto do olho. Não chorou não gritou - o mundo já lhe ensinou que os homens não choram e ninguém quer fazer má figura em frente dos seus pares - mas disse-me muitas vezes baixinho que não queria ir. E eu que o conheço tão bem sei que ele estava muito nervoso e assustado. Prometi-lhe que o vou buscar se nada correr bem e ele precisar de mim. Expliquei-lhe que vai gostar. Disse-lhe que nunca deixaria que nada de mal lhe acontecesse. E agora tenho que lhe dar tempo para superar os seus medos e voltar de lá com mais uma prova superada. Mas não é fácil, nem para ele nem para mim.

Preferências jornalísticas

- amã, e ofereceram-me um jornal!!! E fui o 1o a escolher. Mas deixei-o no avião. 
- e o que é que leste? A Bola?
- não, eu pedi mas eles não tinham. Li O Record. 

É assim que se faz um Português. 

Wednesday, August 5, 2015

1a classe

O M veio em 1a classe e tal como eu esperava ele, que adora comida de avião, queixou-se que a comida era horrível. 

Porsche no Luxemburgo

- no luxemburgo há um porsche e eu vi-o
- um? Um porsche?
- sim, um porsche 
- mas um porsche?
- sim, na garagem da avó, e um ferrari
- ah...
- eu vejo sempre qual é máximo que o ferrari anda
- ah... e quanto é que é?
- não sei, não se consegue ver nada. Só lá dentro.
- ah, okay

Dedo mendigo

Diz o M que as sandálias o magoam no dedo mendigo. 

Ferias #1

Ele chegou ontem das suas ferias no Lux e Lon. Entre muitas outras coisas, que incluem um skyline metalico de Londres que se ilumina, trouxe duas garrafas de refrigerante plasticas vazias. Mas, a avo' dele sendo a avo' dele, as garrafas vinham embrulhadas em cartao e depois ainda protegidas por plastico. Ou seja, estao quase prontas para ir para o lixo.


Saturday, July 25, 2015

Salvas-me?

Estamos em Melides e está um vendaval na praia. A maré está baixa mas as ondas estão desorganizadas rebentando de forma caótica e deixando rastos de espuma branca por todos os lados. O M quer ir à água mas eu não. Ele vai até lá a baixo e volta uns minutos depois.
- amã, vens comigo? As ondas estão muito grandes 
- não amor, a mãe não quer ir à água. 
- e salvas-me?
- claro que sim!! Sempre!!

E ele lá foi, e eu fiquei de olho de lince preparada para saltar para dentro de água. E por momentos fiquei também pesada de responsabilidade, a minha responsabilidade para uma vida inteira. Passámos a fase das fraldas e dos biberões, a fase de traduzir o que ele diz, pensa e sente, de saber o que gosta e não gosta, e vêm sempre novos desafios. Sabia que ia ser desta maneira, mas ainda assim penso não há nada que nos prepare para isto. 

Prioridades

São 5.30 da matina. Temos que ir para o aeroporto e ele está com tanto sono que anda aos esses pela casa. De repente olha para mim e diz:
- o que é que comemos?
- quando? ontem? Respondo eu, ingénua, a pensar no arroz de pato seguido de hambúrguer que ele comeu ontem à noite.
- não, agora!

O M nunca perde noção das suas prioridades.

Friday, July 10, 2015

SNS

Sou uma enorme fa do sistema nacional de saude. Sei que e' desporto queixarmo-nos de tudo o que e' portugues mas tendo passado por outros sistemas de saude publicos acho que o nosso esta muito acima da media. Tenho ido com o M ao Egas por causa das pneumonias dele. A medica, foi fabulosa conosco, consultas a horas, tudo bem explicado, etc. Chegou-se a conclusao que o problema dele nao deve ser alergico (ou pelo menos nao so) mas que tera uma componente infecciosa. Falou-se de ouvidos e ela fez uma marcacao para irmos ao otorrino.

A consulta foi marcada em pouquissimo tempo e esperamos cerca de uma hora, o que e' chato mas nao fica fora da normalidade medica. Entramos no consultorio e o medico, quase sem olhar para nos, mandou o M sentar-se num banco e a mim numa cadeira. Depois, e quase sem ouvir o que eu tinha para lhe dizer, foi observar o M. Disse que ele tinha uma amigdala infectada e que isso nao so dava mau halito como tambem era um foco de infeccao, e chamou-me para eu ver. Olhou para os ouvidos do crio, disse que ele estava com uma otite serosa, que as otites serosas nao tratadas passam a ser cronicas, e afirmou categoricamente que, "este miudo tem que ser operado as amigdalas, adenoides e ouvidos". Levantou-se, sentou-se ao computador e nao falou comigo, nem olhou sequer para mim. Depois de ter teclado umas coisas disse-me que o M tinha que fazer uns testes de audicao e umas analises de sangue. Eu expliquei que ele ja tinha feito aquelas analises e que as tinha feito no proprio Egas, mas ele nao quis saber. Deu-me a receita da medicacao, bufou quando lhe disse que o M nao podia tomar montelucaste, imprimiu outra, disse "pouca piscina e muita praia" e mandou-nos a nossa vida.

Se o M for operado eu quero que seja no publico sou daquelas pessoas da velha guarda que acha que os hospitais publicos sao melhores. Mas e' completamente inadmissivel que o medico nao tenha perdido 5 minutos do seu valioso tempo a explicar-me o porque do seu diagnostico, ou  a ouvir o que eu tinha para lhe explicar. Ate porque o M nos dois dias anteriores a consulta tinha passado umas horas na piscina e isso poderia explicar a otite. Obviamente, marquei uma consulta no privado com um otorrino espectacular que me explicou tudo e que me disse que na sua opiniao nao era necessario operar nada (talvez as amigdalas mas mais pela questao do mau halito).

Como os testes de audicao so estao marcados para fins de Outubro (e tem que ser feitos in-house embora haja uns meses de lista de espera) e a proxima consulta com o otorrino do Egas em Novembro vou por este assunto de parte por agora. 

Vírus

Estamos no carro e eu digo, "estou farta de te..." ele, no banco detrás, abre-se num enorme sorriso e diz, "Pois, o R é um vírus. Tens que estar sempre com ele." Eu sou desato-me a rir e pergunto, "O R?? Como um vírus? Mas o que é que tu queres dizer com isso?" E ele ri-se e, com o seu ar mais maroto,  explica que, "é como um vírus porque, sabes, quando tens um vírus ele esta sempre lá e tu tens que estar sempre a tomar conta dele, com ele." A conversa é tão boa (e elucidativa) que eu continuo a rir-me e pergunto-lhe se aquilo é o que ele acha. E ele explica que ele até ja me tinha dito isto antes, "não te lembras?!?". "Não", respondo eu, "o que é que tu me disseste?" E ele diz que já me tinha dito que eu ia, tinha que, ficar farta do R porque ele está sempre comigo. Mais risos, agora de ambos. "Mas quem é que vai ficar farto" pergunto eu, "eu ou tu??" Ele sorri e diz, "nós". "Eu?? Eu não eu gosto imenso de estar com o R" digo-lhe eu. "Mas tu acabas de dizer que estas farta do R!" responde ele. E eu explico que não o que eu disse foi, "estou farta de..."

Em suma, os Freudian slips são momentos deveras interessantes e importantes (o sorriso do M ao "descobrir" que eu estou farta do R foi absolutamente impagável); O R é um vírus; o M está com ciúmes.

Exageros

Ouvido perto da piscina onde o M tentava furiosamente partir a cabeca.

"A minha mae e' uma exagerada. Alias, e' raro a minha mae nao exagerar!"

Friday, June 19, 2015

Aniversarios

Sao os meus anos e o M aparece na cozinha de manha com as maos atras das costas. Primeiro da-me um embrulho (que eu sei ser um livro porque ele comprou-o num dia em que foi almocar comigo e com a nossa prima; mas ele acha que conseguiu esconder muito bem o embrulho nesse dia). Abro-o e finjo-me super surpreendida. Depois saca da outra mao e da-me 5 euros. "Sao para tu comprares um livro para o teu kindle," diz-me orgulhoso. Este meu menino e' um querido, digo-lhe isso, mas que tambem nao e' necessario, uma prenda e' suficiente. Isto faz com que ele imediatamente me diga que o livro foi comprado com a I e que custou 22 euros. "Ah," digo-lhe eu, "isso foi muito caro! Ainda bem que foi a meias com a I!!" "Nao," diz ele, "foi ela que pagou e depois disse que nao vale a pena M eu pago." Insiste em colocar-me os 5 euros na mao e eu fico meia sem saber o que fazer. Digo-lhe que estou muito sensibilizada com o gesto dele mas que nao quero o dinheiro, que depois convida-me para comer um gelado. E ele la' vai ao quarto por a nota no mealheiro.

Isto foi de manha e foi um inicio de dia fabuloso. O resto do dia ainda foi melhor.

SONYAE

Eu: M, o que e' aquilo?
Ele: os teus headphones
Eu: ah...
Ele: Sao os do... do...???
Eu: Do??
Ele: Sim, os do... do...???
Eu: Sony
Ele: Do Continente!!!
Eu: Nao, filho, isso e' a Sonae

Wednesday, June 17, 2015

Imigrantes

Sabemos que ainda somos um bocadinho imigrantes quando nos sentimos na obrigação de ir perguntar ao segurança se é permitido fumar dentro do parque do hospital e onde exactamente é que é permitido, e ele responde, "ah, pode-se fumar em todo o lado! Mesmo ali,"diz enquanto aponta para os sinais de proibido fumar.

Sabemos que já estamos demasiado Portugueses quando, no mesmo parque e já depois de ter dado duas voltas ao hospital, acabamos por estacionar em cima do passeio. 

Tuesday, June 16, 2015

Chiclet

No dia 30 de Maio o meu filho comeu pela primeira vez uma pastilha elastica. Perguntou-me mil vezes se podia engolir (disse-lhe que nao) e acabou por me perguntar ate se podia engolir o sabor (!!!). Depois tentou fazer baloes (nao conseguiu), andou de lingua de fora (a tentar mostrar-me) e por fim desistiu.

Wednesday, June 3, 2015

Beijos

Diz o M que anda chateado com o seu amigo G. Diz que o G agora anda sempre a tentar beijar toda a gente. Rapazes e raparigas? pergunto eu. Sim, mas até agora só beijou uma rapariga. E a ti já te tentou beijar? Sim. E o que é que tu fizeste? Dei-lhe uma chapada. Ah, tempos modernos. 

Xadrez

Durante 9 anos o pai do crio gozou comigo sempre que lhe disse que o M é um miúdo espectacular. Gozar do tipo de rir um pouco com ar de quem acha que eu sou uma mãe exagerada. Durante 9 anos o pai ligou pouco e não telefonou nos anos, Natais e afins. Depois o M foi passar uns dias ao Luxemburgo e ele lá percebeu que tenho razão. E mandou-me um email a dizer que o M é um miúdo muito inteligente e que seria bom usar o xadrez como instrumento para desenvolver essa inteligência. Ora eu não gosto de xadrez. E mais, as duas pessoas que conheço que são viciadas em xadrez não batem bem. Ou seja, tenho zero interesse em que o meu miúdo se transforme no próximo Kasparov. Ainda assim perguntei-lhe o que é que ele propunha. E foi assim que o M e o pai começaram a jogar xadrez aos Domingos à tarde. Nas primeiras semanas correu bem mas como era de esperar, especialmente depois de tantos anos, o Magora ele diz que não quer, que não lhe apetece falar com o pai. Eu tento convencê-lo, e até agora fui sempre bem sucedida. Mas eis que no Domingo passado percebi que o pai estava a jogar um jogo dele enquanto falava com o miúdo. Não há pachorra. 

Monday, May 25, 2015

O tempo é cultural

Se calhar há quem acredite que o tempo se mede por relógio, mas o tempo é um fabuloso exemplo de uma construção cultural. Senão vejamos: em Fevereiro ou Março deste ano as minhas amigas dos EUA começaram a discutir campos de férias para os seus crios. No fim de Março estava já tudo organizado e tratado. Por ca', no dia 18 de Maio fui ao Inatel pedir informações sobre os campos de férias deles. Ah, não, ainda não temos informação, diz-me a senhora que me atendeu, só no dia 19. Mas hoje não é dia 18? pergunto eu. É que dito daquela maneira qualquer um pensaria que o dia 19 estava a uma distância de pelo menos um mês. Voltei dia 21, ainda não tinham informação.

Ou seja, o dia tem 24 horas, o ano tem 12 meses, mas isso é só o início daquilo que e' o tempo. O resto é o que se faz com ele.

P.S - Embora tivesse uma má relação com o tempo Canadiano - que sempre me pareceu demasiado rígido e organizador, e por isso também limitador - dantes este este à vontade de cá seria suficiente para dar comigo em doida. Quatro anos volvidos, encolho os ombros, e regresso uma semana depois. 

Highlight do fim de semana

Mas o momento alto do nosso fim de semana nao foi o M andar de bicla, nem o facto de o trilho ser lindo, ou do hotel ser muito simpatico, ou de termos jantado muito bem. A highlight do fim de semana foi quando a dona do dito hotel estava a falar comigo e me explicou, ja nao sei a proposito de que, que eu ainda nao percebia bem aquilo de que ela estava a falar porque ainda sou novinha. Novinha? disse-lhe eu, mas quantos anos e' que acha que eu tenho? Ah, ai uns trinta, no maximo trinta e cinco. Um sitio para voltar muitas vezes, portanto!

Cabelo

O M precisa de cortar o cabelo. Já andamos a falar disso há uns tempos mas entre uma coisa e outra ainda não fomos. Esta manhã deixei-o na escola e depois lembrei-me que não lhe tinha dito que o ia buscar tarde por isso voltei a entrar. Estavam lá magotes de miúdos todos vestidos de igual mas ainda assim reconheci-o imediatamente: era o puto de cabelo que estava todo de pé e cheio de remoinhos, com ar de quem tinha sido fisicamente arrancado da cama e ainda não tinha visto um pente.

Camas

O nosso quarto tinha duas camas que, quando chegámos, estavam juntas. Depois a senhora do hotel separou-as. Ora de manhã o M veio um bocadinho para a minha, estava geladinho e permaneceu até aquecer um pouco. Depois decidiu ir jogar ipad e perguntou-me com aquele ar inocente que as crianças às vezes têm se eu queria que ele viesse jogar para a minha minúscula cama. Eu respondi que não era necessário e ele voltou a olhar para mim desta feita com ar de quem não percebe o que é que eu quero dizer com isso. Depois insistiu sugerindo que então o melhor era juntarmos as camas. Assim fizemos. O miúdo apanha-me sempre neste jogo.

Cicloturismo

Este fim de semana fomos com uns amigos fazer cicloturismo. Quando tirámos as bicicletas e estávamos já prontos a partir, o M veio ter comigo e disse que afinal e tal ele preferia era ir de carro. Expliquei-lhe que não era possível. O princípio foi preclitante como muita hesitação e muito medo. Mas umas horas mais tarde (demorámos muuuuiiito tempo a fazer poucos quilometros) já ele estava na fila da frente. E assim permaneceu nos dois dias, sempre montado na bicla, sempre na fila da frente, sempre cheio de vontade de andar mais e sempre, disseram-me porque eu ia atrás, a relatar todos os acontecimentos, tipo: bom, eu agora ia caindo por causa daquela pedra, mas aguentei-me!


Fizemos 20 km em cada dia (pouco) mas estivemos montados nas bicicletas durante umas 7 horas em total. Foi óptimo e o M que até agora dizia sempre que não gostava de bicicleta saiu de lá a adorar! Aliás, competitivo como ele só sabe ser (eu suspeitava que o seu lado competitivo ia ajudar, e ajudou porque ele andou sempre a tentar ultrapassar os outros miúdos) ao fim já me dizia que ele andava mais depressa do que eu. Como eu tudo na vida, practice makes perfect.

Somos um!

Ele sopra-me no ouvido e eu digo-lhe que não me faça isso porque fico com pele de galinha e mostro-lhe o meu braço. Ele pede-me que lhe faça a ele e depois fica a observar o *meu* braço.

Moer

Ele: Amã, sabes moer?
Eu: Moer? Sim, sei.
Ele, passando-me para a mão uma espiga de trigo: Okay, então podes fazer pão?

Thursday, May 21, 2015

Leitoras/es

Estou absolutamente convicta que ha muito pouca gente que le este blog. Alias, so por isso e' que nao o privatizo. Um post normal nao tem mais que 7-8 visualizacoes. E sei que isso inclui tias, tios, primas, amigas e um que outro elemento-nao-desejado. Mas, eis senao quando, o post titulado 'viuva' tem 19 visualizacoes! Um verdadeiro exagero ate porque afinal o meu marido sobreviveu aos seus inumeros ferimentos sem sequer uma cicatrizinha. Alias, tres semanas depois ele ja andava a ameacar pessoas e a beber cerveja. Um homem forte, portanto. Divago, a questao e' que este facto e' curioso. Podia, ja agora, dizer quem ele e' mas isso seria demasiado facil.

Royalties

Pois e', diz que o M vai comecar a ganhar royalties com a letra da sua musica. Vamos ficar ricos!!! :)

Encurralado

M: Ama, eu sinto-me assim... sabes... encurralado por nao ter um livro dos Cinco para ler...

Sei, filho, entao nao sei. Encurralado e' uma coisa que qualquer um sente quando nao tem livros para ler.

A felicidade

O M anda radiante. Nao sei la o que se passa na vida dele mas anda todo contente. Nao faz nada do que eu lhe peco, nao ouve nada do que lhe digo, mas fa-lo com um sorriso nos labios. Alias da-me a sensacao que ele passa o dia a meter-se comigo, nao rola os olhos para tras (ainda) mas olha para mim com o mesmo sorriso que imagino as vezes eu faca para ele, como quem diz, "ai eu gosto tanto de ti mas es tao chatinha!"


Amigos, amigos

M: Ama, adorei o CCB!! Agora tenho muitos amigos no 4o ano!!

Eu: Ai e'? Boa!

M: Sim sou amigo do XX, do YY, do ZZ e do WW.

Eu: Boa, amor!

Ele: Sim, e acho que como eu quase nunca brinco com eles nos vamos continuar a ser amigos! Porque assim nao nos vamos zangar nem nada.

Eu: Ah... (seguido de uma pequena explicacao sobre amigos e o facto de nos zangarmos nao significar deixar de sermos amigos).


Wednesday, May 20, 2015

Amores

Gosto de pensar que acredito em certas coisas porque há uma lógica por trás delas e não porque sim. Falo, por exemplo, da legalização do aborto, no ser de sempre de Esquerda, em defender o casamento homosexual, no ser absolutamente contra o racismo e a favor de todo o tipo de sexualidades, no ser ateia e ter muita aversão à igreja católica, no meu amor pelo meu filho. São tudo coisas que defendo sempre, pelas quais luto e me chateio, porque são para mim coisas não discutíveis mas sim absolutamente lógicas e racionais. Há uma excepção: o Benfica. Gosto do Benfica porque sim mas não de forma menos plena.

Este fim de semana fui a casa dos meus amigos P&N e dei por mim a ver o jogo com alguns Sportinguistas (e muitos Benfiquistas). Até aí tudo bem. Mas começam a mandar bocas, provocações baratas, dizendo que são do Guimarães e erc e tal. E eu, "okay, eu calo-me". E de repente o pai do N insiste uma e outra vez e, sem pensar, respondo-lhe torto dizendo que percebo que se seja de um outro clube mas não que se seja anti-Benfica e que isso é de uma total estupidez. Chamei-o por nome, ele calou-se, eu fiquei a sentir-me muito parva e mal-educada, e levantei-me e fui lá para fora. Pensei em pedir desculpas mas não o fiz. 

Esta foi também uma tarde em que me encontrei solitária na minha aversão a Fátima mas a minha relação com a P, tem espaço para essa discordância. Ou seja, uma tarde um pouco combativa e em que pensei, uma e outra vez, que tenho que ser menos assertiva e menos dada a declarações bombásticas. 

Imagino que o pai do N não mo leve a mal, conheço-o há anos sem fim, e não é a primeira vez que não estamos de acordo. Mas ficou claro para mim que há amores que não se explicam, simplesmente são, o Benfica é o meu.


Friday, May 8, 2015

Dia da mae 2015

No dia da mae recebi um postal com um desenho de mim na banheira (o que me comecou por preocupar mas afinal o tema foi decidido pela professora porque a prenda era um sabonete). Na parte de tras o postal diz, 

Mae,
Gosto muito de ti porque es espetacular, fixe, divertida, alegre, simpatica, querida...
Obrigado por gostares de muito de mim
Beijinho!!!














Coisas que chateiam (II)

O que ele nao sabe e' que como nao quis que o rolo de carne o chateasse ontem, ele vai voltar a chatea-lo hoje. Pois e'.

smileys

Quando o M estava no Luxemburgo comunicavamos por mensagem. E' sempre muito giro trocar mensagens com o crio, expecialmente quando estas sao sobre topicos que o interessam, por exemplo, waffles com chantili. Uma das nossas conversas foi assim:

[M] (manda foto de waffle) Waffle com chantili framboesas e gelado!!! Nao ha mais era o ultimo.
[M]   E farinha com acucar

[A]    :)

[M]   :)????

[A]   Isso e' como um anuncio antigo que dizia, so ha uma e' para mim!!

[M]  :)???

[A]  (sem perceber o que ele estava a tentar dizer, e a pensar que ele quer usar acronimos)   OMG!!! Tao bom!! Tenho que ir ali a conchanata LOL

[M]  ?
[M]  falhaste

[A]   falhei, o que?

[M]  O acreditar a conchanata. E o que e :)?????????????

[A]  (a fazer-se luz no meu espirito)  :) e' um sorriso. E' para mostrar que estou a sorrir
[A]    ;) assim estou-te a piscar o olho
[A]   :( assim estou triste

[M]  :(

[A]   Ohhhhh, entao?

[M]  :$(
[M]  Assim estou milionario e triste

[A]   LOL!
[A] (mas ja agora quero certezas)  Mas estas triste?

[M]  Nao

E pronto, este foi o dia (5-Abril-2015) em que eu ensinei o meu filho o que e' um smiley em ASCII. E' sempre curioso perceber que coisas que para mim sao tao evidentes para ele requerem explicacao. E realizar, ao mesmo tempo, que o mundo dele e' um mundo high-tech de emojis e afins.

Parvoices

Hoje dei por mim a ler emails antigos. O meu repositorio de emails vai ate 1999, ou seja, tenho muito para ler. A maioria dos emails sao, como suponho que para todos os outros mortais, absolutamente inocuos. Mas, de tanto a tanto, ha aqueles que contem muitas parvoices. Ditas por mim, ditas por outros. A minha prima diz que todos fazemos parvoices, temos e' de aprender a viver com elas. E' verdade mas te-las por escrito e' uma chatice. 

Dormir

Posso agora anunciar que, apos 2 semanas e tal sem conseguir faze-lo, voltei a dormir uma noite inteira. Sem insonias. Finalmente.

bichos da seda

O nosso bicho da seda macho esta a morrer. Teve um caso de seda(cao) precoce e agora nao tem forca ou seda para construir o casulo. A femea continua a comer como se nao houvesse amanha.

A ordem natural das coisas (ir viver com a namorada)

Vinhamos no carro a falar do facebook. O M agora anda fascinado com o FB, e explicou-me que mais tarde, quando fosse adulto, ia de certeza ter FB, twitter, e outras coisas. Eu respondi que isso era optimo porque assim podia mandar-lhe um tweet a dizer, "o jantar esta pronto, anda por a mesa". Nao, explicou-me ele, isto tudo vai acontecer quando ele ja nao viver comigo. Ah, bom, entao e quando e' que isso vai ser? pergunto eu. Aos 30, diz ele. Aos 30? mas porque tao tarde?? Bom, se calhar aos 29, ou 28, ou 27, ou 26, nao sei bem porque vou viver com a minha namorada.

Ora bem, o M vai viver com a namorada. O M, que continua a nao ligar a miudas, que nao brinca com miudas, que quase nao regista a sua existencia, vai viver com a namorada porque sabe que a ordem natural das coisas e' arranjar uma namorada e ir viver a sua vida com ela. Isto deixa-me tao feliz.

Ha que dizer tambem que estamos aqui perante uma enormerrima influencia cultural. Quando estavamos no Canada o M afirmava que saia de casa aos 18, o que provavelmente seria verdade porque la os miudos vao viver para as residencias universitarias. Nessa altura ele propunha um cenario onde nos eramos vizinhos e ele vinha lanchar a minha casa. Cinco anos volvidos, o M ja so sai de casa la para os 25-30. Welcome to Portugal.

Certezas

No fim de semana o crio vai actuar no CCB. Para alem de participar como membro do coro vai tambem ser chamado ao palco como o autor da letra de uma das musicas. Esta super orgulhoso, diz que a musica "dele" e' a mais gira. E eu digo-lhe que espero que ele use a oportunidade para fazer um pequeno discurso agradecendo a sua mae por tudo. Ele responde que nao ha discurso. Okay, entao levas um pequeno cartaz no bolso a dizer "obrigado, ama!!" e quando estiveres a agradecer mostras, digo eu. Ele ri-se e diz que isso nao vai acontecer. Quando eu lhe asseguro que mesmo sem cartaz quando ele aparecer no palco eu vou dizer, I-u-uh, M-M-M!!! ele acrescenta que eu vou gritar, "E' o meu filho!!!!"

E tao bom termos os dois a certeza de que gostamos assim um do outro.

Thursday, May 7, 2015

Coisas que chateiam

Diz o M que não vai jantar. Diz ele que não come porque "aquela carne [o] chateia imenso." Contra factos não há argumentos. 

Tuesday, May 5, 2015

Mais pulseiras e cancro

Hoje perguntei ao M se ja sabia mais qualquer coisa sobre as pulseiras e o cancro. Disse que sim, afinal nao sao as pulseiras que causam cancro, sao os acessorios. Suspiro.

Depois, pos-se a fazer mais uma pulseira e ia falando enquanto trabalhava. Disse-me que queria uma pulseira com um padrao assim ha meses. Ah sim? digo-lhe eu. Sim, desde o verao. A serio? insisto eu. Sim, quer dizer, ha imenso tempo que nao penso nisto e depois do verao so me apetecia destruir pulseiras, mas sim, ha imenso tempo. Okay, contra factos nao ha argumentos.

As pulseiras e o cancro

Ontem o meu filho veio dizer-me que, "ha muita gente que diz que estas pulseiras fazem cancro". Estas pulseiras sao aquelas pulseiras que eles fazem com a porra dos elasticos. Eu comecei por lhe responder que ha' muita gente parva no mundo, mas depois perguntei quem eram essas pessoas (sem resposta concreta) e como e' que as pulseiras causam cancro (derretem e sao absorvidas pela pele). Agora pergunto-me a que alminha e' que se lhe ocorre dizer estas parvoices aos crios. Expliquei-lhe que se as pulseiras derreterem ele fica, em primeiro lugar, com uma queimadura; que a barreira da pele nao e' assim tao facil de ultrapassar; e que, a querer preocupar-se com o cancro sera melhor prestar, por exemplo, as coisas que come/bebe (por exemplo, coca-cola). Ficamos-nos por ai e ele hoje levou a caixa dos elasticos para a escola.

Wednesday, April 29, 2015

Bichos-da-seda

Esta manhã observei o M num bonito momento de paternidade em que, após constatar que os bichos da seda já cresceram imenso, disse com orgulho e saudade, "eu ainda me lembro quando eles eram pequeninos!!". O que não é de espantar porque foi na sexta-feira passada. 

Viúva

Sabemos que estamos perante alguém que nos conhece muito bem quando dizemos, "o meu marido morreu!"  E a resposta é, "não me digas nada que eu ainda não vi esse episódio!!"

P.S- ah, e não estou a falar do Sheppard. 

Thursday, April 23, 2015

Bichos da conta

Ele veio para casa ontem com uma caixa de papel cheia de bichos da conta. No quintal da minha avó havia muitos destes bichinhos e eu gostava de brincar com eles. Mas agora não gosto, e estes são pequeninos e com uma cor estranha, yuck. Mas vieram para nossa casa onde foram colocados numa caixa de sapatos da qual comecaram prontamente a fugir. Mudaram-se para outra caixa e para a sala - o M teve medo que eles subissem para a cama dele. Esta manhã fomos ver: alguns parecem ter escapado, outros estavam mortos. Ainda no caminho para a escola soltámos os que sobraram na natureza. Mas ele levou a caixa para a escola, diz que vai trazer bichos da seda. 

#estafacetadamaternidadenaomeagrada

Os resultados da terapia da fala

Ele: ... conseguezios ver?
Eu: conseguezios ver???!!!!!!
Ele: con-SE-gue-ZI-os ver?

Wednesday, March 25, 2015

Sem M

Quando o M tinha pouco mais de um ano, e eu estava em plena época de entrevistas de emprego, descobri que a minha nanny tinha um adquirido um pequeno problema com a bebida. Despedi-a, a minha mae foi busca-lo e ele veio para Lisboa uma semana ou duas.

Quando o M tinha quase dois anos e meio eu estava cheia de trabalho e a mudar de casa e mandei-o para Lisboa duas semanas com a nova nanny, a Carrie. Fui em trabalho a Israel e depois passei em Lisboa a busca-lo.

E e' isto. Estes foram todos os periodos em que estivemos separados, em que eu estive sozinha. E' claro que houve fins de semana e uns periodos curtos de 3 ou 4 dias mas extensoes de 7 dias ou mais so' houve estas.

Ate' esta Pascoa. Ontem o M foi com a avo materna de ferias (4 dias) e para a semana vai estar com a avo paterna (7 dias). No meio vem a casa de fim de semana para matar saudades e lavar a roupa. Esta a ser bom: os dias sao tao compridos sem ele. Consigo fazer tanta coisa quando nao tenho que pontuar o meu dia pelas refeicoes e necessidades do miudo. A memoria aviva-se-me de como eu era uma fabulosa aluna de doutoramento, eficaz e eficiente.

E com isto apercebo-me que tanto do meu ser esta ligado a ele. Sem o M uma parte enorme de mim, a que me ocupa metade do dia, desaparece e eu deixo de saber quem sou. A presenca dele nao me deixa pensar nisto mas sem ele nao ha desculpas. Tenho mesmo que comecar a fazer coisas de adulto, fazer coisas por mim. Porque um dia destes ele e' adolescente e eu nao sei quem sou. Comeco amanha.

Monday, March 23, 2015

Rotina/Retina

Cenario: o M brinca com um amigo aqui em casa.

Eu: cuidado com o laser não o apontem aos olhos. Podem ficar cegos!
M: ficar cegos? Porquê?
T: ah, eu sei! Porque queima a rotina.

As criancas divertem-me tanto.

Tuesday, March 17, 2015

kimono

Lavei o kimono do M. As calcas encolheram 10cm.

Eu e a lavagem de roupa temos serios problemas...

Friday, March 13, 2015

Notas de amor (II)

E para demonstrar que ele nao e' de facto romantico, aqui fica a carta que me escreveu em Dezembro, em preparacao para a reuniao de pais na escola em Dezembro.



Quando lhe perguntei porque 'mae' e nao 'ama', ele explicou que nao quer que os outros miudos achem que ele e' uma crianca e gozem com ele...

Notas de amor

- Amã, se quiseres escrevo-te uma carta igual à que escrevi para o meu pai para o dia do pai.
- Ah, sim?
- Sim. Só tem uma linha mas a professora gostou. É que eu não costumo ser assim... sabes, de coisas muito românticas.
- Ah. E o que é que diz a tua carta?
- Diz: Dear Father, Tak (obrigado em Dinamarquê) for loving me.
- Muito bem. E não puseste, “I love you too”?
- Ah, boa ideia... não me lembrei. Ponho amanhã.

E o mais interessante é ele achar que uma carta que diz, “dear father, thanks for loving me” é uma coisa romântica...

Notas no teste

- Amã, não te zangues, é que eu não tive muito boa nota no teste.
- Ah, sim?
- Sim, ia-te escrever uma carta para não te zangares e tudo...

Brincadeiras de escola

- Amã, eu não gosto muito do Nuno... é que ele acusou o Guilherme de ter feito xixi para o seu camião
- ??!!??

Mesada

- Amã, compras-me carteirinhas de cromos para a caderneta?
- Não, amor. A mãe já comprou a caderneta, agora tu compras os cromos com a tua mesada
- Mas agora sou eu que tenho que pagar tudo??!!?? Assim já não quero mesada!!!

Pois. Todos os dias penso o mesmo.

Arrumações

- Amã, vou arrumar a sala e tirar uma fotografia!
- Ok
- Amã, já está tudo arrumado!! E tirei muitas fotografias!!
- E o que é que fizeste as coisas?
- Atirei-as para trás do sofá

Sigh.

Fónix | Phoenix

- Fónix
- M!! Fónix???
- Fónix!!!
- Então, M??!! O que é isso???!!!
- É este invizimal, chama-se assim. Porquê?
- Ah, é Phoenix... não, por nada. Continua.

Harry Potter

Demorou mais de um ano. Deu azo a conversas, sonhos, pesquisas, fatos de carnaval, e ate representacoes, mas os livros do Harry Potter chegaram ao fim. Ele leu-os em Ingles, com perguntas, duvidas, dedicacao e entusiasmo. Agora passou aos "Cinco" e ao "Senhor dos Aneis". Mas, aqui fica a longa lista de feiticos como prova deste feito.


Thursday, March 12, 2015

Estar-te a ver, no escuro

Para além de ter as minhas expressões faciais o M tem também o meu sentido de humor. Daí que se ria às gargalhadas quando está a ler ou ver televisão, e daí também que ontem à noite, no meio de uma história complicada que me estava a contar sobre o seu dia na escola, tenha soltado um, "e ele disse-me não-sei-quê, estás-me a ver?!?" e eu, que gosto de quando ele brinca com expressões novas, respondo, "sim estou-te a ver". Ao que ele diz prontamente, "não estás não porque está escuro!!" e ri-se, ri-se, ri-se.

O grande compositor (II)

Afinal o texto do M não foi seleccionado para aparecer num livro dos 50 anos da escola. É muito melhor. Afinal, o texto dele foi um de dois (apenas dois em todo o primeiro ciclo) a ser escolhido para fazer parte de uma peça de música que a escola encomendou para celebrar os seus 50 anos. Vai ser tocada e cantada (com a letra dele) na festa de fim de ano. É uma enorme, gigante honra. E, apesar do crio dizer que o texto é horrível, ele nem quer falar desse assunto, eu estou muito orgulhosa. Força, miúdo!!

P.S. - Assim o insulto do, "és um grande compositor", faz mais sentido.

Erros

Cometi um erro, um grande erro. Erros cometemos todos, eu sei, mas não deixa de ser um erro e é meu. O M estava a fazer perguntas, a perguntar como só ele sabe fazer, num ritmo que não deixa silêncios nem tempo para pensar. Mas isto não é desculpa. Perguntou, insistiu. Não queria nada, as perguntas eram sobre outra coisa, queria atenção, companhia, jogar. E eu respondi que tinha tido más notícias, que me deixasse estar um pouco. Mas deixar estar é algo que as crianças, a minha criança, fazem mal ou nunca. Porque para elas o tempo é diferente e um pouco é mesmo um pouco, uns segundos apenas. Há muitos anos tive esta conversa com ele: as crianças zangam-se em  pouco tempo e em pouco tempo também recuperam; os adultos, ou esta adulta, demora tempo a zangar-se mas também demora tempo a voltar à normalidade. Mas é uma lição rapidamente esquecida. Ele insistia, vamos jogar. E eu disse-lhe que a confirmar-se, a má notícia significa que vamos morar para Londres no Verão. Foi um erro, o meu papel não é partilhar com ele o peso das decisões, é aliviá-lo. Foram dois segundos mas agora ele acorda e adormece a falar de Londres, os pós e os contras. Acorda a horas, antes da hora, está nervoso, ansioso mas não sei se o sabe. Não há volta atrás porque ele já não é bébé e dito não por ser não-dito. Falhei, e sem ser a primeira vez ou sem ser a última, sinto-me sem saída.

Wednesday, March 11, 2015

Flores e perspicácia

Recebi um ramo de  flores em casa. Vinha com um cartão. O M quis ler (eu não deixei) mas li eu em voz alta, e ele viu que eram do J. Pegou nas flores e com a perspicácia que lhe é habitual disse, "o J manda-te muitas flores. Ele está a tentar ser teu namorado, é??". 

Quem é quem?

Um de nós diz, "esquece, não fazemos os trabalhos de casa hoje!"
O outro responde, "hã, é melhor fazermos alguns exercícios, ou se calhar conseguimos fazer tudo". 

Quem é quem?!?

Friday, March 6, 2015

Horríveis dias


Temos um calendário de parede. Eu assinalo os dias de "férias" a amarelo. Ele marca os "horríveis dias" a preto. A pré-adolescência chegou e não está a ser fácil.

Nervosismos

Ando tão, mas tão nervosa que a minha cabeça deixou de funcionar. 

O admiravel mundo novo (e quem fica para tras)

Estou no cafe sentada ao computador e pergunto ao senhor se tem wi-fi. Sim, diz-me ele, e vai ver a password que apontada num papelinho junto a caixa. E dita-me: U... S... E... R. Eu vou ver, ele esta a ler o nome da rede (o username) em vez da password que esta escrita por baixo. E' bom nao nos esquecermos que neste mundo em que toda a gente esta sempre online ha pessoas que nao tem pouca ou nenhuma literacia digital.

Ha muitos, muitos, anos, no meu primeiro ano Natal no Canada, mandei postais de boas festas a todos os meus amigos. Fiz etiquetas com o meu nome e morada e, por baixo, pus o meu email. Estavamos no ano de 1998 e ja quase toda a gente usava a net. Passados uns tempos recebi um postal de volta da minha senhoria em Barcelona, a Dona Mercedes. Entretanto perdi-lhe o contacto mas a Dona Mercedes era uma senhora 'a moda antiga, com presenca, bem arranjada, gordinha e super querida. Ela foi nao so minha senhoria mas tambem vizinha. O predio era dela, um predio lindo, com uns apartamentos fabulosos. O meu tinha vista para o mar e para Montjuic. Nao sei o que ela fez em nova, mas a Dona Mercedes tinha uma boa vida na reforma. Foi a Dona Mercedes  que decidiu que me iam alugar o apartamento embora eu tenha pedido uma reducao substancial da renda, contra as objecoes do marido, porque eu lhe fazia lembrar a neta. Era ela tambem quem dizia, a quem tocava a campainha para mim, se eu estava ou nao em casa, funcionando como um intercomunicador humano. A Dona Mercedes sabia tudo o que fazia porque, como ela me disse, reconhecia os meus passos nas escadas. Pois a Dona Mercedes respondeu-me num Castelhano misturado com Catalao e no envelope colocou a minha morada completa, incluido o meu email. Ela nao sabia o que era uma direcao de email e achou que fazia parte do endereco.

Estas sao as pessoas que ficam para tras neste nosso admiravel mundo novo.

um pais deste tamanho!

"Ama, adivinha de que pais e' esta musica! E' um pais deste tamanho," diz ele enquanto usa a mao para me mostrar o tamanho do tal pais.

E' algo que sempre me adorei, a forma em que as criancas interpretam a relacao entre o mundo fisico e as suas representacoes. Talvez porque reconhecem a abstracao inerente a quaisquer representacao, para eles nao ha regras rigidas (tais como a escala!). E isso diverte-me porque permite uma fluidez de pensamento libertadora. Dai que tenha tentado adivinhar: a Austria? demasiado grande, o Vaticano? nao e' tao pequeno, e' assim! Quando eu finalmente desisti de tentar adivinhar ele disse-me que era a Bielorussia, levou-me ao quarto dele, pos a mao de encontro ao mapa que esta na parede e disse, "ves eu disse-te que era desta tamanho!"

p.s- uma das coisas das quais o M sempre gostou e' de mapas. Aos 3 ou 4 anos ja adorava desenhar mapas. Eu tenho aprendido muita geografia com ele. Alias, o M tem-me ensinado que sou "boa" a coisas que nem sonhava ser.

ipad

O M meteu na cabeca que quando quer instalar um novo jogo no meu ipad tem de desinstalar um dos jogos que la tem. E' a versao do 'quando comprar um par de sapatos novos tenho que deitar fora um que tenha em casa' que eu ja pensei por em pratica. Ele esta convencido que faz isso porque e' o que eu quero. E eu, maquiavelica mas pedagogica, nunca lhe disse que a regra foi inventada, e e' imposta, por ele.

Wednesday, March 4, 2015

2 desejos

Eu: Se pudesses ter 2 desejos o que é que pedias?
Ele: 2 desejos quaisquer????
Eu: Sim 
Ele: Hmmm... Um jogo para a nintendo e.... Pode ser qualquer coisa? Um ipad novo,
Eu: Se pudesses ter dois desjos era isso que pedias???
Ele, ouvindo a incredulidade na minha voz: Sim. Gosto da minha vida como ela é.

É tão indescritívelmente bom ouvi-lo dizer isto. 

Monday, March 2, 2015

M em casa

Da-me a sensacao que ele ficou mais dias em casa em 2015 do que aqueles em que foi a escola. Arghh...

Wednesday, February 25, 2015

A 80%

Já fomos ao hospital e em princípio não será um problema auto-imune, o que é óptimo. Diz a médica que deve ser uma rinite alérgica. Tivemos que tirar mais sangue para fazer mais análises e o pobre só dizia, como quem recusa a segunda sobremesa, "não, eu não quero." Mas tirou e não chorou. 

Mas a verdade é que o miúdo não está bem. Está com um ar super cansado e anda demasiado calminho, chochinho e com olheiras. Amanhã vou buscar o rx toráx e marcar consulta no pediatra. 

Croissant com?

Esta é a grande anedota dele, criada por ele e já a posta em prática por nós. 

Primeiro pedi eu, um croissant com queijo. Depois ele, um croissant. Com quê? Perguntou a menina. Com um pastel de nata! respondeu ele com os olhinhos a rir de satisfação. 

Acrónimos

O M descobriu os acrónimos e por isso agora manda mensagens cheias de LOLs, OMG, FYI, etc. E ri-se. Muito. 

House M.D.

Eu e o M temos visto alguns House juntos. E vai dai hoje apanhei-o a andar pela casa dizendo, "do an MRI". Ter filhos é muito entretido. :)

Thursday, February 19, 2015

2 semanas (sem ipad)

Odeio-te!! Nunca mais te quero ver!!! Vai-te embora!!! Não gosto de ti, és um monstro!!! Hoje é o pior dia do mundo!!! Tu nunca fazes nada do que eu quero!!!! És má!!! És uma chata!!!

Tudo isto foi ouvido nos últimos dois dias lá em casa. Ontem deu direito a uma, e depois duas semanas sem ipad. Mas o que me preocupa é a violência das reacções dele. Ontem o nosso dia foi assim: às 10 da matina o primo dele veio lá a casa e ficou até às 16.30. Depois fomos ao médico levar uma vacina e mostrar os resultados das análises. Ele fartou-se de resmungar porque não queria esperar no médico. Chegámos a casa e ele foi brincar com o vizinho porque eu tinha que trabalhar. Fui buscá-lo já passava das 20. Quando chegámos a casa ele pediu-me para ver uma teoria do big bang, disse que sim mas primeiro ele tinha que tomar um duche. E pronto, abriram-se as torneiras do inferno: choros, gritos e insultos. 

Eu tenho pena dele. Da falta de controlo que ele de repente tem sobre o seu corpo. Mas há limites e não quero estar a criar um puto que só sabe pensar em si próprio. Além disso, e como já lhe expliquei, nós somos só dois e eu preciso que ele me ajude. 

Desde pequenino que o M de tempoa a tempos precisa de um frente-a-frente, como se fôssemos dois animaizinhos a ver que manda. Mas quando ele era pequeno era mais fácil. 

Eu tenho um bocado de medo se, depois de ter feito um bom trabalho, estar agora a lixar isto tudo.  


Tuesday, February 17, 2015

Tertúlias

Entramos no carro e ele diz, "então a que é que vamos falar? Voltamos ao tema de antes de sair do carro, a crise na Grécia?"

Habermas, watch it and learn!

Quem quiser juntar-se às nossas tertúlias é só pedir boleia. 


Monday, February 16, 2015

Ter um filho de 9 anos

Ter um crio de 9 anos tem coisas boas: deixámos para trás o.Noddy, o Ruca, os Gormitis, e começámos a ver coisas dos anos 80. Já vimos o 'Cocoon', 'Os deuses devem estar loucos', 'Crocodile Dundee', 'Regresso ao futuro', e até 'O parque Jurássico'. Mas também tem coisas más - sou obrigada a ver todas as sequelas dos filmes acima citados. 

Análises

Fomos fazer as análises. Correu bem, mas tão bem. Ele não chorou, nada. Simplesmente disse que doía e que já estava. Depois fizemos prova do suor e rx torax. O que não fizemos foram as análises não comparticipadas pelo SNS. Ficava em 400€!! (A médica tinha dito para não fazer se fossem muito caras). Já só falta fazer as vacinas (e cortar o cabelo que é mais difícil do que tirar sangue).

Sunday, February 15, 2015

Young and wise

O M queria comprar o novo brinquedo da moda. Disse-lhe que, se se porta-se bem amanhã quando for fazer análises eu lhe oferecia uma caixa de 11€. Fomos ao toysrus mas não havia caixas de 11€ só havia uma de 37€. Ficámos por isso num dilema: eu pago metade, mas ele só pode brincar com metade dos brinquedos agora, a outra metade é para depois das análises. Mas ele quer brincar com eles agora e por isso oferece outra solução: ele paga tudo e depois das análises eu dou-lhe metade. Mas eu preciso que ele se porte bem quando formos tirar sangue, e o M nunca tirou sangue, e é muito teimoso por isso eu quero MESMO que ele queira aqueles brinquedos. Por isso, digo-lhe que se ele os guardar eu dou-lhe metade do dinheiro, se não só lhe dou 10. 

O M é poupadinho. Ainda me lembro da vez que ele desistiu de comprar um gelado porque ia gastar do dinheiro dele. A mesada dele são 10€, ou seja, o brinquedo é caro. Ele pensa, pondera e decide: vai comprá-lo ele. 

Chegamos a casa, ele vai direito ao mealheiro e dá-me o dinheiro. E eu pergunto-lhe, então M como é que te sentiste ao ir buscar o dinheiro? É muito dinheiro! Não te sentiste mal? Ele está deitado no chão e não se vira nem responde. Passado uns segundos diz, perguntaste como é que eu me senti e se eu me senti mal. É claro que me senti mal! Mas tomei a decisão e já está. 

Pois, filho, a mãe tem muito a aprender. 

Wednesday, February 11, 2015

O grande compositor

Na reunião de pais do M as professoras vieram ter comigo, explicaram-me que já me tinham ligado, e tudo pra me informarem que um texto do M tinha sido escolhido entre todos os da escola para representar o 1o ciclo - ou se calhar era só o 3o e 4o ano... - uma grande honra portanto. Mas por favor não deêm os parabéns ao meu filho. Ele está frustradissimo, diz que o texto era uma porcaria e que ele até o escreveu como se fosse bébé. Sobre o que é o texto, disso não se lembra, mas é mau. E pior, lá na escola os meninos do 4o ano até já gozaram com ele e chamaram-lhe "o grande compositor!!".  Uma ofensa imperdoável, se ele soubesse o que é que eles querem dizer com isso!

Mais a sério, texto de bébé ou não merece os parabéns. E já lhe expliquei que na escola muitas vezes o preço a pagar por ser inteligente é ser gozado. E

Com febril

O M sempre inovador na sua relação com o Português criou um novo nome, diz ele que está "com febril". Também continua a "dar" emails e agora até "dá" facetimes. Fica a ideia.  Eu já me converti ao "játamente" para quando preciso de algo "já, imediatamente"

Tuesday, February 10, 2015

Memória selectiva

O M voltou para a escol e levou um papel meu a explicar o que tinha passado para ele dar às professoras. Quando o fui buscar perguntei-lhe se elas o tinham lido e se tinham respondido.
Sim, disse ele. 
E o que é que escreveram?  
Só me lembro da primeira frase. 
E que dizia? 
Ainda bem que já temos o nosso M de volta! 
E o resto? 
Não me lembro. 

Monday, February 9, 2015

Regresso à escola

Depois de duas semanas em casa doente o M só tem uma coisa a dizer, "eu devia ter aproveitado melhor o tempo!" 

Tuesday, February 3, 2015

Relatos de uma pneumonia

É 3a feira dia 27. O M anda cheio de tosse mas sem febre. Queixa-se de dores de barriga. Resolvo mantê-lo em casa porque o ano passado a pneumonia dele começou assim sem fazer crer que nada sério aí vinha. Telefono para a linha saúde 24, e realmente gosto deste serviço. Dizem -me que ele deve ser visto por um médico mas que não é urgente. Voltarão a ligar no dia seguinte. O dia passa-se sem febre, mas com muita tosse.

A noite é a loucura. O M acorda por volta das 23 e muda-se para a minha cama. Queixa-se entre resmungos de não conseguir dormir "por causa da varinha de sabugueiro". Sendo perita em Harry Potter sei que estamos a falar da varinha do Dumbledore. Levanto-me tantas vezes e estou tão cansada que a certa altura tenho medo de na próxima vez não conseguir acordar. Mas consigo. Dou-lhe o antipirético, troco-lhe a roupa que está molhada de suor, assouo-o, e ele diz que quer dormir comigo, "assim" e enrosca-se a mim e finalmente dorme. 

Quando acordamos percebo que na noite anterior ele teve um pico de febre tão alto que alucinou. Com o Harry Potter, claro. Ele fala como se fosse um sonho, e eu sinto-me (ir)responsável por não ter acordado para ajudá-lo. Ligo para a saúde 24, mando SMS ao pediatra e vou para SFX. Somos atendidos em menos de nada. O M é oscultado por dois aprendizes de feiticeiros (espera, de médicos) que dizem que ele tem X e Y - descubro, mais uma vez, que quando estou muito nervosa não oiço ou então não memorizo. Vem a médica chefe, esta sim era mesmo uma bruxa, e confirma diagnóstico - tem de fazer rx e aerossol. M diz que se sente mal, eu pergunto à médica se há algo que possa fazer por ele e ela responde, "não". Depois olha para mim como se me fosse bater por eu não ter obrigado a criança a comer o pequeno almoço e tenta ela obrigá-lo a beber um chá dizendo que "não importa que não gostes, tens de beber". Eu digo-lhe que só bebe se quiser, mas que coma as bolachas. RX feito, aerossol feito, e vamos falar com médica. Mais uma pneumonia. Explico que é a segunda em dois anos consecutivos e pergunto se posso ter cópia da radiografia. A bruxa diz que não. Receita -lhe azitromicina. 

Passam 4 dias. Ele nao volta a ter febre mas tambem nao esta bom. É Domingo e o antibiótico acaba hoje. Vou-lhe dar um beijo de manhã e ele queixa-se que o magoei na bochecha. Olho mas não vejo nada. Mais tarde reparo que tem a cara inchada. Tem o gânglio do pescoço tão inchado que fica com uma bochecha de esquilo. Começo a entrar em pânico: gânglios inchados são sinais de infecção e ele acaba de fazer 5 dias de antibiótico. E ainda tem pieira quando respira e tosse muito. Mas pelo menos não tem febre. À noite ele queixa-se que não se sente bem. Ponho-lhe o termómetro: 38.5. 38.5 depois de 5 dias de antibiótico!!! Ainda bem que já temos consulta de pediatra para amanha. 

A noite e' mal dormida. O M acorda, mais uma vez por volta das 23h, e translada-se para a minha cama. Mas desta feita desata a gemer a chamar por mim. Eu estou na sala a trabalhar mas desligo o computador e explico que vou so lavar os dentes. Ele fica na cama de bracos estendidos a dizer, "ama, eu quero-te a ti aqui". Quando chego a cama ele dorme mas agarra-se a mim.

2a às 14.30 falamos com pediatra (com quem mantive contacto durante estes dias). A pneumonia ainda não está curada, e ele tem também infecções no ouvido e nariz - isto está tudo ligado. O inchaço (tumefacao, e' o termo usado pelo medico) do gânglio deve vir dessas infecções. Saimos de lá com mais uma amoxicilina, regada a ventilan e atrofen. Falo como o medico sobre o meu medo destas pneumonias recorrentes, ele concorda e da-me uma requisição para fazer análises e outro RX ao peito para se fazer um estudo da situacao. 

Hoje é 3a e o M ainda me está a fazer febre. Febre baixa, mas febre. No ano passado ele esteve muito pior mas quando lhe dei o segundo antibiótico foi como se tivesse ligado um interruptor, passamos da noite para o dia. Desta vez não. Ele nao está tao prostrado como da ultima vez mas tambem nao se poe bom, está simplesmente molinho, febril, com pouco apetite. 

E já disse que 5a tenho uma entrevista de trabalho em Londres? Estou em pânico com a ideia de o M não estar bem e eu ir sair do país.

Vamos la a ver como passa o dia de hoje. Fingers crossed. 

Friday, January 30, 2015

pela parte da frente

O M esta doente. Esta em casa desde 3a. Neste momento esta sentado no chao a fazer lego. E enquanto eu trabalho e me tento concentrar, ele vai falando e contando coisas ou cantando (porque o M sempre gostou de preencher o silencio). A ultima: "Sabes o que e' que a MB diz que sao boas maneiras para dizer fazer chichi? Fazer necessidades pela parte da frente". A serio, miudos? Ai!

Thursday, January 29, 2015

Pai

O pai foi-se embora hoje e o M ficou tristíssimo como sempre. E a mim parte-se o coração de cada vez que isto acontece. :(

Dormir como uma aranha

Diz o meu filho que ainda bem que vai ter a minha cama toda só para ele, assim vai puder dormir como uma aranha!!!
Não me teria lembrado de tal analogia, mas mal ele o disse vi a imagem muito clara na minha mente. 

(Eu durmo na cama dele porque ontem dormimos juntos - nós e os 10 peluches - e hoje tenho um torcicolo horrível). 

O M está doente. 

Tuesday, January 27, 2015

Moussaka

E para celebrar a vitória do Syriza, o jantar cá em casa é moussaka!! (Ficou boa mas tenho que practicar mais)


Monday, January 26, 2015

Dormir comigo

É de madrugada e ouço o M a ir à casa de banho. Tosse muita tosse. Quando ele sai pergunto-lhe o que se passa. Ele entra no meu quarto meio a dormir, resmungando qualquer coisa sobre sonhos, tosses e coisas que estava a fazer, e enquanto isso levanta o édredon, deita-se e aninha-se. Ainda me levantei para lhe fazer um leitinho com mel (o raio da tosse!) e ir buscar o Ami, depois ele adormeceu. Eu estive quase uma hora a vê-lo dormir. Vou ter umas saudades quando ele for grande...

Sunday, January 25, 2015

Produtividade

Começo por falar do meu dia. Depois explico a razão. 

Acordei às 9. Eu com febre. Ele cheio de tosse. Levant-mee aqueci-lhe um leite com mel. Deitei-me ao lado dele a fazer um Quiz Harry Potter. Uma app em em que temos de responder a tudo sobre o dito Potter. Falhámos mil vezes e mil vezes tivemos que recomeçar o nível, mas chegámos aos fim. O M ficou contente por ser Potter Master. Tentei convencê-lo a fazer o TPC. Fui tomar banho e deixei-o a fazer o de música. O de Portiguês foi mais difícil. Com boa razão, a quem se lhe ocorre pedir aos crios para escreverem uma composição sobre o Capuchinho Vermelho e a poluição??!!? Ele escreveu duas linhas. Depois arrastei-o para o Continente. Tomámos o peq almoço e enquanto eu via os livros de receitas para o menú desta semana, ajudei a composição. A apesar do tópico, e da prosa seca do meu filho, lá ficaram as piadas dos sete anões terem de parar de trabalhar nas minas para não poluirem o solo, da Rapunzel ter de cortar o cabelo parapoupar água, ou do Lobo Mau se queixar que sem árvores não se consegue esconder para apanhar os porquinhos. Depois fui fazer as compras. Tive um pequeno qui por quo com a minha irmã, que se queixou do tarde da hora para o convite do Rafael e com razão. Cheguei a casa e e recolhi a roupa e estendi outra. Escrevi um e-mail de trabalho muito importante. Dei de comer ao M, fui buscar os meus vizinhos e fomos para a feta do M. Lá estive com 21 miúdos a jogar futebol e brincar nos escorregas. Estas festas stressam-me porque tenho sempre medo que algo não corra bem. Esqueci-me de levar o paracetamol, mas talvez não tenha sido mau porque a febre ajudou-me a não ter frio. 3 horas mais tarde voltei para casa fiz o jantar. Recolhi a roupa. Dei banho ao M. Pu-lo na ca e deitei-me um pouco com ele a repasar o dia. Depois fui recolher roupa e passar a ferro. Agora vou dormir, mas a cozinha não foi arrumada e ainda tenho roupa estendida e por passar. Estou morta mas sem febre.

 Não escrevo isto porque sou uma coitadinha. Há muita gente que faz mais que eu. Escrevo porque recebi uma resposta ao meu e-mail de trabalho da manhã. Diz a colega que viu o meu CV e que lhe pareceu bem mas que a esta altura esperaria que tivesse mais publicações. E eu também, até porque gosto de escrever e não escrevo mal. Mas a cabeça não chega a tudo e eu só consigo escrever com a cabeça organizada. E para isso a vida tem que estar em modo rotina. E se dantes isso era fácil, hoje é muito difícil. E tenho um filhote para manter estruturado e contente. Claro que se tudo aquilo que faço contasse, eu era uktra produtiva. Mas, não conta ou não fosse este um mundo de homens. Fiz a minha opção há 9 anos atrás e não me arrependo. Fui agora dar um beijo ao meu pequenino e ele dorme quentinho e feliz. 

Namoradas

- Não te posso dizer isto, diz ele
- ok, então não digas, digo eu que já não caio na esparrela de insistir 
- é que tu vais dizer que nós somos muito novos... Prometes que não te ris? E que não gozas comigo?
- claro que sim
- e que não te zangas?
- sim
- e que não dizes nada?
- bom, prometo que não digo nada a ninguém, mas não prometo que não te digo nada a ti... Mas olha, não tens de me dizer nada! A amã vai tomar banho e tu pensas se me queres contar.

Passado um pouco.

- Amã, acho que te vou contar. 
- diz...
- o que é que achas de eu pedir namoro à C?

Eu faço um esforço por manter uma cara séria e passamos uns largos minutos a discutir esta questão. E a dada altura percebo que apesar do meu sorriso, esta é uma questão importante para o M, e ele decidiu discuti-la comigo. Estou a fazer um bom trabalho...



Friday, January 23, 2015

Febril

Cheia de dores de garganta e a ver o karaté kid de 1984 com o miúdo. As calças, os cabelos, a música, acho que a febre ajuda...

Adolescência

O M choraminga enquanto diz, o que é eu fiz a Deus??!!?? Que mal é que eu fiz a Deus??!!??

À adolescência é tramada. (Tudo porque o ipad está MIA e o T não está em casa).

Thursday, January 22, 2015

Aula de piano

Ainda sobre a aula de piano que me pareceu um pouco um desastre: conhecendo eles o M pergunto-me como é que se lhes ocorre colocá-lo com um professor tão desorganizado. O M aprecia a ordem e a rotina, e isto nunca vai funcionar.

Expectativas

Saímos da aula de piano a que vim assistir, e ele olha para mim expectante. Eu reparo, mas não respondo. Descemos as escadas e ele continua a olhar para mim à espera de qualquer coisa. A aula foi um bocadinho um desastre por isso não quero dizer nada sem pensar um pouco. E ele continua a olhar para mim com aqueles olhinhos azuis a sorrir e ansiosamente à espera. Finalmente ele diz-me, então o que achaste dela? E eu percebo tudo, não estamos a falar da aula de piano mas sim da companheira de aula, a C, de quem o M gosta. Respondo como toda a mãe que quer continuar a saber em primeira mão da vida do seu filho deve responder: que não tinha percebido que era disso que ele estava à espera e que ela é muito bonita. E para dentro penso que é tão bonito que o meu filhote queira a minha aprovação.

Tuesday, January 13, 2015

Londres e a Lei de Murphy

É 2a feira e saio de casa às 5 da manhã, está cá a babysitter e eu vou a Londres em trabalho. Desta vez, e pela primeira vez, decidi não voltar logo na 3a de manhã, vou aproveitar o dia em Londres - vou ao Tate Modern que já não visito há anos, ou ao British Museum, ou simplesmente a um café.

Ainda não cheguei a Londres quando o meu telefone toca. É da escola do M, a professora dele quer falar comigo. É que o M não se sente bem e já vomitou duas vezes, se o posso ir buscar. Em pânico desligo e telefono à minha mãe. 

Quando finalmente saio do comboio que me trouxe à cidade, sento-me num café a fazer horas para que eles me liguem. É o M com vozinha triste e de quem não se sente bem, diz que não sabe bem o que tem, e pergunta quando volto. Lá lhe explico que só tenho voo para o dia seguinte à noite mas que se ele quiser posso tentar ir de manhã. Que sim, que quer. 

E eu compro mais um bilhete, acordo bem cedo de manhã, e regresso. Quando chego ele já se sente melhor, e mostra-me, da maneira que sabe, que foi bom ter vindo, está horas deitado em cima de mim enquanto eu tento ler. 

Ser mãe solteira é um constante desafio à lei de Murphy. 


21.45 e a NOS

São 21.45 toca o telefone. Não reconheço o número mas atendo. É da NOS, têm uma qualquer promoção para mim. Não os deixo sequer explicar. Explico que às 21.45 não se telefona para casa de ninguém com promoções, que é má educação, e que eu a esta hora só atendo o telefone para emergências. Mas fico curiosa, será que sou a única Portuguesa que se deita cedo???

Os prós

Eu: afinal estar doente teve uma coisa boa, foste para casa da avó...
Ele: e não fui à escola!
Eu: ou seja, estar doente afinal teve duas coisas boas!
Ele: é tipo como quando os Americanos deitaram a bomba atómica, também acabaram com a guerra mundial
Eu (com voz de quem duvida): pois, sim, a mesma coisa...
[risos]

Ainda assim, nada como uma boa analogia.

Friday, January 9, 2015

Se pudesse voltar atras...

Alguem me perguntou, ha pouco tempo, o que e' que eu faria se pudesse fazer qualquer coisa. Algo com criancas e' a minha resposta. Aquilo que gosto de fazer e' estar com miudos. E sou boa nisso. Costumo ser boa a respeitar o que os miudos gostam e os miudos costumam gostar de mim por isso. Mas, em vez disso, sou academica. Oh, well.

Coisas de viver no sec. XXI

Em casa de uma amiga:

Ela: puseste botox nos labios??!!??
Eu: nao, estou com herpes

Tuesday, January 6, 2015

O que fazer?

O que fazer quando aquilo que e' melhor para nos nao e' o melhor para a pessoa de quem mais gostamos e por quem somos responsaveis? E' essa a questao que me deixa sem dormir nos dias de hoje. Para o M o melhor e' ficarmos por ca. Para mim, nao. A arranjar um emprego ca sera sempre pior (a nivel profissional) que qualquer coisa que possa arranjar la fora.Urgh.